Quais os sintomas da esclerose múltipla?

Quando na fase inicial, a esclerose múltipla tem sintomas passageiros e sutis, sendo que eles classificam-se nas áreas sensitivas, visuais, motoras, esfincterianas, cognitivas, mentais e de ataxia.

De forma geral, é possível indicar que os sinais e sintomas da esclerose múltipla são:

  • Alterações de humor;
  • Depressão e ansiedade;
  • Desequilíbrios;
  • Dificuldade de controle da bexiga ou do intestino;
  • Dificuldade para andar;
  • Dor ou queimação na face;
  • Dormências ou formigamentos;
  • Espasmos e rigidez muscular;
  • Fadiga;
  • Falta de coordenação dos movimentos ou para andar;
  • Perda da força muscular;
  • Problemas de atenção;
  • Problemas de memória;
  • Problemas no processamento de informações;
  • Tonturas;
  • Visão borrada, perda visual, embaçamento ou mancha escura no centro da visão de um olho;
  • Visão dupla.

A esclerose múltipla é uma doença crônica, que faz com que as células de defesa do organismo comecem a atacar o próprio sistema nervoso central, ocasionando lesões cerebrais e medulares. Atualmente, são cerca de 35 mil brasileiros com essa enfermidade e, em geral, incide entre as idades de 20 e 50 anos, com maior predominância entre o sexo feminino.

Diagnóstico e tratamento da esclerose múltipla

A esclerose múltipla não tem cura.Portanto, é essencial diagnosticar a esclerose múltipla o mais cedo possível, para que se inicie um tratamento, pois assim é possível modificar o curso natural da doença, de modo a reduzir o número de surtos, lesões e sequelas de cunho neurológico. Para saber mais sobre a doença confira o texto completo sobre esclerose múltipla.

O neurologista é o profissional mais adequado para verificar a existência da esclerose múltipla.

O tratamento para essa doença configura-se com:

  • Fisioterapia;
  • Medicamentos para reduzir a fadiga;
  • Medicamentos para tratar a depressão ou outro sintoma associado à esclerose múltipla;
  • Medicamentos para tratar o problema urinário ou intestinal;
  • Relaxantes musculares;
  • Tratamento medicamentoso, que visa controlar as crises e os sintomas, assim como a própria progressão da doença;
  • Uso de vitamina D.

Conviver com esclerose múltipla é difícil, mas algumas medidas também podem ser cruciais, para uma melhor qualidade de vida:

  • Descansar;
  • Praticar exercícios físicos;
  • Manter uma dieta equilibrada e saudável;
  • Aliviar o estresse;
  • Realizar atividades relaxantes, como meditação;
  • Adaptar-se ao ambiente de trabalho, com maior flexibilidade no horário, tendo pausas regulares, entre outras propostas;
  • Evitar o calor, como em banhos quentes e exposição excessiva ao sol.

Uma dica é buscar apoio de pessoas que também sofrem de esclerose múltipla, para trocar experiências e entender melhor como a doença funciona e age.

Fonte:https://sonofix.net/